Delegado de Salto cai após roubo e invasão

Além do chefe da polícia, titular do DP onde mulher foi assaltada acabou[br]afastado por não garantir segurança do local

José Maria Tomazela, SOROCABA, O Estado de S.Paulo

19 de maio de 2010 | 00h00

O diretor do Departamento de Polícia Judiciária do Interior (Deinter-7), Weldon da Costa, afastou dois delegados de Salto, no interior de São Paulo, depois de uma mulher ter sido roubada no 1.º Distrito Policial da cidade e de o prédio ter sido invadido.

O delegado do município, Moacir Rodrigues de Mendonça, e o titular do 1.º DP, Luciano Carneiro de Paiva, foram afastados das funções. De acordo com Costa, as mudanças são necessárias para resgatar a credibilidade da Polícia Civil, "sensivelmente abalada pelos lamentáveis episódios". Ele disse que os delegados falharam em não ter providenciado segurança para o DP, com a instalação de câmeras e a contratação de vigilância privada.

Pela manhã, o secretário da Segurança Pública, Antônio Ferreira Pinto, já havia defendido a necessidade de vigilância terceirizada. O secretário disse que as investigações também foram intensificadas para apurar o ataque a uma comerciante dentro do distrito. Para ele, os policiais alegarem que não agiram para impedir o roubo por acharem que se tratava de uma briga de marido e mulher "beira o ridículo". "Nós vamos apurar e afastar os agentes que foram omissos."

O diretor do Deinter-7 destacou ainda que, depois da primeira ocorrência, em que os policiais ficaram sem ação frente à ação do bandido, já deveriam ter sido tomadas medidas para a proteção da unidade. "Se houvesse solicitação, eu autorizaria contratar vigilância terceirizada para o DP. Isso é normal, pois os policiais ficam liberados para as funções deles. Temos um serviço de vigilância terceirizado aqui no Deinter e em outras unidades 24 horas", disse Costa. Sem citar números, ele disse que várias unidades têm porteiros e vigias terceirizados.

Segundo o diretor do Deinter, essa foi uma orientação passada para todos os delegados da área. "Determinei também que fosse providenciada a segurança das unidades com cercas elétricas, câmeras de vigilância e alarmes. Os delegados de Salto não seguiram a minha orientação."

O novo titular de Salto passa a ser João Edson Pignata, até ontem delegado da Infância e Juventude de Sorocaba. O delegado Mendonça passou a responder pelo 2.º DP. O delegado Paiva, que respondia pelo 1.º DP, foi transferido para o quadro da delegacia do município. Em seu lugar assume Paulo Henrique D"Angioli. Costa afastou do 1.º DP o escrivão e a carcereira que trabalhavam no local na hora do roubo. E a investigação do caso passou para a Delegacia de Investigações Gerais de Sorocaba. / COLABOROU RENATO MACHADO

CRONOLOGIA

Dois crimes em quatro dias

13 de maio

Bolsa roubada

Enquanto esperava na delegacia para registrar a clonagem de um celular uma comerciante de 52 anos teve a bolsa roubada. Ela chegou a brigar com o ladrão e pedir ajuda, mas os policiais não fizeram nada. O escrivão alegou que achava que era briga de casal.

17 de maio

Prédio invadido

Durante a madrugada, invasores quebraram a fechadura do prédio da delegacia, quebraram a porta de vidro e reviraram as salas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.