Delegacia investiga autores de ameaças na internet

Os boatos envolvendo o nome de Wellington Menezes de Oliveira em redes sociais levaram a Delegacia de Repressão a Crimes na Internet a investigar adolescentes que espalham ameaças. Na sexta-feira, mensagem em comunidade do Orkut levou a polícia até um colégio particular de Santa Cruz, na zona oeste do Rio. O autor fazia referência a uma suposta cumplicidade com Wellington e prometia chacina similar à de Realengo. Por causa do boato, metade dos pais não levou os filhos à escola na sexta-feira e ontem, quando ocorreria o suposto ataque.

Alexandre Rodrigues, O Estado de S.Paulo

12 de abril de 2011 | 00h00

Segundo os diretores do colégio, policiais passaram a sexta-feira na escola, reforçando a segurança e tentando rastrear as mensagens. Chegaram a um menino de 13 anos, aluno de uma escola vizinha, que confirmou a autoria do texto, mas negou conhecer Wellington ou ter intenção de promover a chacina.

A mensagem teria sido recebida por outro internauta investigado: o que, sob o perfil falso do deputado Jair Bolsonaro, fez, no mesmo site, espécie de previsão de uma versão brasileira do massacre de Columbine uma semana antes do crime de Realengo. O internauta disse a policiais que foi uma infeliz coincidência e também negou conhecer Wellington.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.