MOUCO FYA / ESTADÃO
MOUCO FYA / ESTADÃO

Deixar a bike na rua exige uso de corrente e de tranca em U

Equipamento custa em torno de R$ 150; cicloativista dá outras dicas simples de como evitar furtos

Bruno Ribeiro, O Estado de S. Paulo

18 de abril de 2015 | 19h30

Uma tranca em U e uma corrente. É com esses materiais que o ciclista evita a desagradável surpresa de buscar a bicicleta estacionada na rua, em paraciclos ou postes, e descobrir que foi vítima de furto, segundo explica o cicloativista William Cruz, criador do site Vá de Bike. 

“Esse equipamento chega a custar R$ 150. É preciso pensar o seguinte: o seguro do carro custa, geralmente, 10% do preço do veículo, e tem de ser pago todos os anos. Esses equipamentos são o seguro da bicicleta. Você deve gastar 10% do valor da bicicleta para protegê-la”, afirma Cruz. E paga uma vez só.

Como fazer. De acordo com o cicloativista, a bicicleta deve ser presa ao paraciclo de forma que a trava em U prenda tanto o quadro quanto a roda traseira da bike. 

Uma dica na hora de escolher a trava em U: o ciclista deve procurar um modelo que trave nos dois lados da peça. “Usando um pé de cabra, os caras conseguem estourar a trava. Mas é de um jeito que sempre estraga também a bicicleta”, diz Cruz. Ele evita dar mais detalhes para não “facilitar” a vida dos ladrões.


Após prender, com a trava em U, a roda traseira e o quadro no paraciclo, Cruz ensina que é bom, também, fixar uma corrente entre a trava em U e a roda dianteira. “Eles roubam mesmo as rodas”, garante.

Há travas projetadas justamente para facilitar o desmonte da roda - o material foi desenvolvido para que ciclistas trocassem rapidamente a roda caso, por exemplo, o pneu estourasse.

“Mas facilitou também a vida do ladrão”, diz o cicloativista. Mesmo quem tem a roda presa por conjuntos de porca e parafusos comuns também deve acorrentar a roda. “Se um cara tiver uma chave, leva.”

Quem tem bicicleta cara também pode investir em travas com combinações para prender o banco. Há modelos que dificultam o roubo do equipamento, em que é possível tirá-lo apenas se estiver de ponta-cabeça.

Ainda é importante lembrar de levar consigo todos os materiais destacáveis da bicicleta, como lanternas dianteira e traseira e garrafas plásticas.

Cruz adverte, por fim, que correntes muito finas podem ser facilmente cortadas com alicate.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.