Deic: testemunha acusa agentes

O depoimento de Carina Angela Rosin Portillo, de 21 anos, à Polícia Federal confirmou as suspeitas sobre quatro policiais civis acusados de sequestrar dois ônibus de sacoleiros e exigir R$ 100 mil para não prendê-los por descaminho. Os suspeitos tiveram a prisão preventiva decretada pela Justiça no último dia 25 e até ontem continuavam foragidos.

Bruno Lupion e Josmar Jozino, O Estado de S.Paulo

06 de novembro de 2010 | 00h00

Segundo Carina, os dois ônibus foram parados pelos policiais do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic), no dia 28 de junho, na Marginal Tietê. Ela disse que os ônibus foram levados para uma rua perto do Deic e que os policiais mantiveram os passageiros nos coletivos por quatro horas, exigindo os R$ 100 mil. Como o acerto não foi feito, os levaram para a PF. Os acusados são Valmir Carvalho Leite, de 40, Marcelo Garcia Bilhordes, de 40, José Vandir Ferreira, de 40, e Carlos Benedito Felice Júnior, de 42. A defesa nega as acusações.

O delegado titular da 2.ª Delegacia de Crimes Contra a Fé Pública, José Roberto de Arruda, afirmou que os policiais não tinham autorização para parar os ônibus e que afastou três dos acusados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.