Reprodução|Google Street View
Reprodução|Google Street View

Deic prende suspeitos de explodirem cofres de bancos

Quatro acusados de ataques no Sul de Minas foram localizados em Sumaré (SP) com armamento pesado

Rene Moreira, especial para O Estado, O Estado de S.Paulo

15 Abril 2018 | 17h02

FRANCA - Policiais do Deic (Departamento Estadual de Investigações Criminais) de São Paulo e da Polícia Civil de Minas Gerais prenderam seis suspeitos de explodirem cofres de agências bancárias em uma chácara em Sumaré na tarde deste sábado, 14. Com eles, foram apreendidos dinamites e armamento pesado. 

Os presos estariam entre os responsáveis por explodirem cofres de bancos e aterrorizarem o Sul mineiro. A ação, nas agências do Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal de Passos (MG) na quarta-feira, 11, teria rendido mais de R$ 20 milhões ao bando. 

+ PM e garota de 15 anos são encontrados mortos em motel na zona leste

Entre os materiais apreendidos estão coletes à prova de balas, dinamites, munições e armas como pistolas, metralhadora e fuzil ponto 50, este usado em guerras e capaz de derrubar helicópteros. A polícia acredita que a quadrilha seja a mesma que cometeu outros crimes, como o ataque a um carro forte em Mogi das Cruzes (SP) no início deste ano.

Policiais já tinham localizado quatro carros blindados usados pelos assaltantes no roubo em Passos na semana passada. Na ocasião, dois ônibus foram incendiados para fechar o trânsito nas rodovias de acesso à cidade e a rede de energia foi atacada, deixando parte do município no escuro.

+ Chuvas causam deslizamentos e interdição nas rodovias Mogi-Bertioga e Anchieta

A polícia alega, porém, ter conseguido evitar que o grupo roubasse ainda mais dinheiro. Com os presos foram apreendidos R$ 170 mil  do total levado dos bancos. A quadrilha teria usado até drones para monitorar a ação policial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.