Defesa de médica lista falhas na investigação

A defesa da médica Virgínia Soares de Souza - ex-chefe da UTI do Hospital Evangélico de Curitiba (PR) e presa sob a acusação de matar pacientes - entregou ontem ao Ministério Público e à Vara de Inquéritos memorial apontando 12 erros nas investigações. A principal falha apontada é a falta de "materialidade no inquérito". "Sem fato criminoso e sua prova não há crime", afirma o texto da defesa.

O Estado de S.Paulo

07 Março 2013 | 02h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.