Defesa de ex-namorado de Mércia diz que ele não se entregará à polícia

Para advogado, prisão de Mizael Bispo foi decretada com base em depoimento 'duvidoso' de vigia

Priscila Trindade, da Central de Notícias

12 de julho de 2010 | 14h02

SÃO PAULO - O advogado do policial aposentado Mizael Bispo de Souza, Samir Haddad Júnior, afirmou nesta segunda-feira, 12, que seu cliente não vai se entregar à polícia. Mizael é suspeito de envolvimento no assassinato da advogada Mércia Nakashima, sua ex-namorada.

 

Veja também:

linkVigia é indiciado por participar de morte de Mércia

 

Haddad afirmou que a prisão de seu cliente foi decretada com base no depoimento duvidoso do vigilante Evandro Bezerra Silva. Evandro foi preso na sexta-feira, 9, na casa de parentes no município de Canindé do São Francisco, no interior do Sergipe, e trazido para São Paulo. Evandro teria afirmado durante depoimento que Mizael matou Mércia.

 

O advogado afirmou ainda que entrará na Justiça com o pedido de habeas corpus para seu cliente até terça-feira, 13. Mizael Bispo está foragido desde sábado, quando foi expedido um pedido de prisão temporária por 30 dias.

 

Mércia, de 28 anos, foi encontrada morta no dia 11 de junho em uma represa de Nazaré Paulista, no interior de São Paulo, após ficar 19 dias desaparecida. O laudo com a causa da morte ainda não foi divulgado, mas peritos informaram que ela tomou um tiro no queixo quando estava dentro de seu carro. O veículo foi jogado na represa

Mais conteúdo sobre:
caso Mércia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.