Pr Antonio Valdevino (@LeaAntonio)/Twitter/Reprodução
Pr Antonio Valdevino (@LeaAntonio)/Twitter/Reprodução

Defesa Civil avalia prédios atingidos por incêndio em Campinas

Chamas atingiram todo o quarteirão entre a avenida Benjamin Constant e a rua Saldanha Marinho; loja de autopeças foi demolida

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

27 Janeiro 2017 | 15h23

SOROCABA - A Defesa Civil iniciou nesta sexta-feira, 27, uma avaliação dos danos causados às estruturas dos prédios pelo incêndio que atingiu sete imóveis na região central de Campinas, interior de São Paulo. 

O fogo, que se iniciou por volta de meio dia de quinta-feira, teve os últimos focos apagados somente na manhã desta sexta, após 20 horas de trabalho do Corpo de Bombeiros. As chamas atingiram todo o quarteirão entre a avenida Benjamin Constant e a rua Saldanha Marinho.

O prédio da loja de autopeças 'Doidão', onde as chamas se iniciaram, foi condenado pela Defesa Civil e demolido pela prefeitura de Campinas. Técnicos da Defesa Civil já fizeram uma avaliação preliminar dos outros seis prédios, mas um levantamento mais completo será realizado na segunda-feira, após a conclusão dos trabalhos da perícia policial.

A Polícia Civil iniciou a investigação das causas do incêndio e os peritos do Instituto de Criminalística (IC) já estiveram no local, mas o laudo ainda não ficou pronto. O incêndio não causou vítimas, mas foi o maior dos últimos trinta anos, em Campinas. Em 1986, na véspera do Natal, um grande incêndio destruiu o supermercado Eldorado, um dos principais centros de compras da cidade na época. Duas pessoas morreram.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.