Defensoria quer R$ 1 milhão para pais de homem executado por PMs em SP

Além de indenização por vítima morta em cemitério de Ferraz de Vasconcelos, defesa pede pensão vitalícia

Priscila Trindade, Central de Notícias

01 de junho de 2011 | 14h28

SÃO PAULO - A Defensoria Pública de São Paulo pediu ao Estado indenização para os pais de Dileone Larcerda de Aquino, executado por policiais militares no Cemitério Parque das Palmeiras, em Ferraz de Vasconcelos, na Grande São Paulo. O valor pedido, feito na segunda-feira, é de R$ 500 mil para cada um dos pais por danos morais.

 

O pedido solicita ainda que o Estado conceda uma pensão vitalícia para cada um dos dois no valor de um salário mínimo e o ressarcimento de R$ 2.349,33 gastos com o velório, transporte e sepultamento da vítima. O pedido tem natureza administrativa e será analisado pela Procuradoria Geral do Estado.

 

No dia 2 de março, Dileone foi perseguido por dois policiais militares após o relato de um roubo de carro. O jovem foi atingido na perna por um tiro e algemado. Dileone teria sido colocado dentro de uma viatura policial com vida e levado para o cemitério. Uma testemunha ligou para o telefone 190 e narrou o ocorrido.

 

Veja também:

linkRelato - 'É obrigação da polícia prender, não matar', diz pai

som Ouça - Mulher relata execução em tempo real

lista Íntegra - Leia como foi a ligação com a denúncia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.