Defensoria pedirá transferência dos líderes grevistas

A Defensoria Pública do Rio vai impetrar pedidos de habeas corpus e de transferência para os 17 policiais e bombeiros presos na penitenciária de segurança máxima de Bangu 1, acusados de incitar a greve na segurança pública do Rio. Mães e mulheres dos detidos pediram a intervenção da Defensoria porque temem pela segurança dos líderes, encarcerados desde sexta-feira.

O Estado de S.Paulo

14 de fevereiro de 2012 | 03h04

Os familiares reivindicam a transferência dos grevistas de Bangu 1 para uma unidade militar. "Nosso foco não é mais a greve. Queremos tirar nossos parentes desse presídio. As visitas estão proibidas. Essa prisão parece um sequestro para as famílias, porque não sabemos como os presos estão", afirmou a estudante Ana Paula Fernandes Matias, de 29 anos, mulher do sargento Matias, lotado no Grupamento Marítimo da Barra da Tijuca.

A Ordem dos Advogados do Brasil do Rio (OAB-RJ) vai pedir ao secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, a relação dos policiais e bombeiros que estão presos. Já o cabo do Corpo de Bombeiros Benevenuto Daciolo segue em greve de fome desde a prisão, na quarta-feira. /PEDRO DANTAS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.