Defensoria pede multa de R$ 80 mil a agressores da Av. Paulista

Valor que cada um pode pagar é de R$ 16.420; jovens bateram em rapaz no último dia 14 e estão detidos

Luciana Fadon Vicente, Central de Notícias

16 Dezembro 2010 | 12h15

SÃO PAULO - A Defensoria Pública de São Paulo anunciou nesta quinta-feira, 16, por meio do seu Núcleo de Combate à Discriminação, Racismo e Preconceito, uma representação na Secretaria do Estado de Justiça e Defesa da Cidadania contra os cinco rapazes acusados de agressões na região da Avenida Paulista no último dia 14 de novembro.

 

O órgão público pede a aplicação de multa de R$ 16.420,00 para cada um dos agressores por discriminação homofóbica, de acordo com a Lei Estadual nº 10.948 de 2001, que prevê punições administrativas para qualquer cidadão ou empresa - pública ou privada - cometer atos de preconceito por orientação sexual.

 

Na terça-feira, o jovem agredido com uma lâmpada e o vigia de um prédio que presenciou a cena prestaram depoimento à Secretaria do Estado de Justiça e Defesa da Cidadania, e declararam que o ataque teve motivos homofóbicos, inclusive com insultos, o que levou a abertura do processo por parte da Defensoria e o pedido de multa feito pela Defensora Pública Maíra Coraci Diniz, que atua no caso. Segundo Diniz, a multa é devida mesmo nos casos de adolescentes, em razão da responsabilidade subsidiária de seus pais, por força do Código Civil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.