Defensoria pede multa de R$ 80 mil a agressores da Av. Paulista

Valor que cada um pode pagar é de R$ 16.420; jovens bateram em rapaz no último dia 14 e estão detidos

Luciana Fadon Vicente, Central de Notícias

16 de dezembro de 2010 | 12h15

SÃO PAULO - A Defensoria Pública de São Paulo anunciou nesta quinta-feira, 16, por meio do seu Núcleo de Combate à Discriminação, Racismo e Preconceito, uma representação na Secretaria do Estado de Justiça e Defesa da Cidadania contra os cinco rapazes acusados de agressões na região da Avenida Paulista no último dia 14 de novembro.

 

O órgão público pede a aplicação de multa de R$ 16.420,00 para cada um dos agressores por discriminação homofóbica, de acordo com a Lei Estadual nº 10.948 de 2001, que prevê punições administrativas para qualquer cidadão ou empresa - pública ou privada - cometer atos de preconceito por orientação sexual.

 

Na terça-feira, o jovem agredido com uma lâmpada e o vigia de um prédio que presenciou a cena prestaram depoimento à Secretaria do Estado de Justiça e Defesa da Cidadania, e declararam que o ataque teve motivos homofóbicos, inclusive com insultos, o que levou a abertura do processo por parte da Defensoria e o pedido de multa feito pela Defensora Pública Maíra Coraci Diniz, que atua no caso. Segundo Diniz, a multa é devida mesmo nos casos de adolescentes, em razão da responsabilidade subsidiária de seus pais, por força do Código Civil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.