Decretada prisão de 17 acusados de abusar de adolescentes

Grupo de adultos e jovens teriam ameaçado, espancado e violentado casal dentro de clube em Paulo de Faria

Chico Siqueira, especial para O Estado de S.Paulo

02 de julho de 2009 | 18h47

O Ministério Público Estadual denunciou à Justiça um grupo de 17 pessoas - oito adultos e nove adolescentes - acusado de ameaçar, espancar e violentar uma menina de 13 anos e um menino de 12 dentro de um clube da cidade de Paulo de Faria, a 529 quilômetros de São Paulo. O grupo teve a prisão preventiva decretada pela Justiça - os menores deverão ser encaminhados para a Fundação Casa. Até esta quinta-feira, 2, quatro pessoas tinham sido presas; quatro estavam foragidas, entre elas, duas mulheres - uma universitária e uma dona de butique.

 

As agressões ocorreram na madrugada de 20 de abril nas dependências da Associação Atlética Banco do Brasil (AABB). O casal de adolescentes marcou encontro para namorar no clube, que estava fechado, quando foi surpreendido pelo grupo. "Os dois menores foram perseguidos, impedidos de ir embora e depois, submetidos a todo tipo de abusos sexuais. O menino disse ter sido violentado e exames constataram lesões na vagina da garota", informou a promotoria. "Eles foram espancados e ameaçados. O menino teve o braço quebrado e a menina perdeu um dente e sofreu ferimentos na boca", acrescentou.

 

Entre os agressores estariam um adolescente e seu pai, dono de um estabelecimento comercial na cidade, que foi preso. "O adolescente chegou dirigindo o carro do pai", disse a promotoria. Além do comerciante, no grupo havia outras pessoas conhecidas na cidade, como um professor e o funcionário da academia, também presos pela polícia. As agressões foram registradas pelo celular de uma estudante de odontologia da cidade de São José do Rio Preto. As imagens não foram apreendidas pela polícia, que agora procura a moça, considerada foragida da Justiça.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.