Decretada a prisão temporária de quatro suspeitos de assassinar o prefeito de Jandira

Adilson Alves de Souza e Lázaro Teodoro Faustino foram presos com vestígio de pólvora nas mãos

Ricardo Valota, do estadão.com.br

11 Dezembro 2010 | 03h28

SÃO PAULO - O Setor de Homicídios da Delegacia Seccional de Carapicuíba, na Grande São Paulo, conseguiu, no início da madrugada deste sábado, 11, com um juiz de plantão na capital paulista, a prisão temporária dos quatro suspeitos de participação no assassinato do prefeito de Jandira, Walderi Bráz Paschoalin (PSDB), crime ocorrido na manhã de sexta-feira, 10.  

 

Suspeito chega ao Setor de Homicídios da Delegacia Seccional de Carapicuíba, na Grande São Paulo

Como durante a noite e aos finais de semana não há como se obter esse tipo de documento na região, o delegado titular do Setor de Homicídios, Zacarias Katzer Tadros, recorreu a um juiz de São Paulo e conseguiu a prisão de Adilson Alves de Souza, Lázaro Teodoro Faustino, detidos logo após o crime e com vestígio de pólvora nas mãos. A dupla é apontada pela polícia como autora dos disparos contra o prefeito.

  Veja também:

linkPrefeito é morto em Jandira

linkMotorista baleado em Jandira continua em estado grave

 

A prisão temporária se estende também a Cristiano dos Santos e Felipe dos Santos, localizados pela polícia com material inflamável, que possivelmente seria utilizado para queimar o veículo utilizado pelos criminosos. Os quatro suspeito passaram por exame de corpo de delito no IML de Osasco e às 3h20 deste sábado já haviam retornado para Santana de Parnaíba.

 

Na manhã deste sábado, os suspeitos foram transferidos para a cadeia pública de Carapicuíba. A Secretaria de Segurança Pública (SSP) também confirmou que exames residuográficos mostraram a presença de pólvora na mão de todos os suspeitos.

 

Velório. O governador eleito do Estado, Geraldo Alckmin (PSDB), compareceu ao velório de Paschoalin por volta das 10 horas deste sábado. Ele pediu cautela com as especulações sobre a motivação do crime. "É preciso aguardar as investigações", disse o governador eleito. "Acho que cabe à polícia investigar a razão do crime e os mandantes", acrescentou.

 

 

Segundo Alckmin, a segurança pública será uma das questões centrais de sua nova gestão. "Recursos, equipamentos, policiais, treinamento, motivação, integração das polícias, serão prioridade absoluta. Vamos trabalhar firmemente. Essa é uma guerra em que se tem de vencer batalhas todos os dias. Ela nunca está terminada."

 

Atentado. Paschoalin e o motorista dele, Wellington Martins, conhecido como Geleia, foram atacados por volta das 8 horas de sexta-feira, 10, quando chegavam a uma estação de rádio no bairro Jardim Mirante, para participar do programa semanal feito pelo prefeito.

 

Paschoalin foi atingido no peito e o motorista na cabeça. O prefeito não resistiu aos ferimentos e o motorista foi levado para o hospital Sameb, em Barueri, e depois encaminhado ao Hospital das Clínicas, em São Paulo. Martins continua internado em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), no HC. Ontem, ele passou por uma cirurgia, mas segundo informação do hospital, seu estado de saúde segue inalterado

 

Texto atualizado às 14h30

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.