'Decisão da Justiça se acata', diz Alckmin

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, disse acreditar que a justiça não vai demorar para julgar o mérito dos pedidos de prisão de integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC), conforme pedido pelo Ministério Público, após investigações.

O Estado de S.Paulo

19 de outubro de 2013 | 02h02

"O Tribunal de Justiça apenas não deu a liminar, mas vai julgar o mérito da questão. Acho que não vai demorar", disse ontem. Alckmin reafirmou que vai aguardar o julgamento e que "decisão da justiça se acata".

Ontem, o desembargador Ivan Marques, da 2.ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça (TJ), negou o recurso que garantiria a decretação imediata da prisão preventiva dos 175 denunciados pelo Ministério Público Estadual (MPE) como integrantes do PCC - 62 estariam livres e cometendo crimes. A Justiça entendeu que a medida não era urgente. /MARCELO GODOY

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.