Debutar é 30% mais caro do que casar

Meninas chegam a usar cinco modelos de vestido na mesma noite, em festas que podem durar 24h

VALÉRIA FRANÇA, O Estado de S.Paulo

29 Abril 2012 | 03h04

De todos os elementos obrigatórios em uma festa de 15 anos, digamos, de arromba, o vestido é dos mais importantes. E, para causar impacto, vale tudo na moda delirante das debutantes. Vale, por exemplo, copiar o look de cantoras internacionais, como Katy Perry e Beyoncé - ou mesmo de alguma personalidade do cenário nacional, como Ivete Sangalo. Ou ser diferente - e um tanto narcisística - e mandar estampar o próprio retrato no modelito.

"Elas sempre pedem a roupa do último show ou do clipe de alguém da cena pop", confirma o estilista Israel Valentim, de 40 anos. Disputado na região do Tatuapé e do Jardim Anália Franco, na zona leste de São Paulo, ele vem conquistando clientes de outras partes da cidade, como Alto da Lapa, na zona oeste, e Jardins, na zona sul, e assinou os vestidos da miss interpretada pela atriz Bruna Marquezine na novela global das 19h, Aquele Beijo, que acabou em abril. Segundo ele, hoje as debutantes usam até cinco vestidos na mesma noite.

"Elas escolhem um modelo longo para a valsa e outro bem curtinho para a balada", conta Emmanuelle Junqueira, estilista conhecida por ter uma linha romântica para festas, com ateliê e loja nos Jardins. "A menina leva dois vestidos daqui e sai dizendo que vai comprar mais." Para debutantes, Emmanuelle só tem opções prêt-à-porter, por a partir de R$ 5 mil.

A paulistana Stephany Martins não fugiu à regra e usou três vestidos em sua festa, em fevereiro - um curto cor de champanhe para receber os convidados, um longo e rodado com a sua foto estampada na saia para dançar a valsa e um de paetê brilhante, bem curto, para a hora da balada.

"Elas sempre querem vestido de paetê. E eu tento convencê-las a sair do lugar comum, mas nem sempre dá certo", diz Rodrigo Rosner, estilista que faz roupas de festa sob medida, com ateliê em Higienópolis.

Temática. A paulistana Suellen Lembi Roberto sonha ser diretora de cinema. Na sua festa de 15 anos, no começo do ano, ela abusou do tema. Para receber os convidados no Buffet Torres, em Moema, zona sul, escolheu uma réplica - mais curta e menos decotada - de um dos vestidos mais fotografados de Marilyn Monroe, o plissado branco e esvoaçante que a atriz usou em O Pecado Mora ao Lado, de 1955. Para arrematar o look, coque sexy e batom vermelho.

Duas horas depois do início da festa, Suellen saiu de cena. Nos bastidores, um cabeleireiro a esperava. Ela teve o cabelo solto e envergou uma tiara de strass. Enquanto isso, os convidados assistiam uma das cenas de Titanic (1997). Então, as luzes do salão se apagaram, e Suellen surgiu num longo vermelho, por uma escada deslizante, como se estivesse saindo do filme.

O terceiro modelito foi inspirado em Moulin Rouge (2001). "Abri a pista em cima de uma réplica da Calçada da Fama", conta a menina, empolgada. No total, a festa custou cerca de R$ 250 mil. "Ver os olhos da minha filha brilhando valeu cada centavo", garante a mãe, a advogada Jaqueline, de 48 anos.

Achou tudo muito exagerado? Pois segundo o estilista Valentim, a menina até que foi comedida. "Tem festa de debutante que dura 24 horas. E, quando é assim, são contratados dois bufês", conta ele, que fez os três vestidos de Suellen. "Em salões top, como os do Grupo Leopolldo, Casa Fasano e La Luna, uma festa desse porte começa em R$ 400 mil", diz Romy Godoy, da Romy e Tangrê, que faz assessoria de festas e está há 25 anos no mercado.

Sonhos da mamãe. As festas de debutante voltaram com força total no começo deste século - e viraram megaeventos. Os exageros incluem entradas triunfantes das meninas de moto, a cavalo e, acredite, até voando, presas em cabos de aço. Romy, no entanto, dá uma pista de onde vem tanta imaginação: "Muito do que acontece na festa é a realização do sonho da mãe."

Kátia Sanches, de 45 anos, diretora de uma escola da zona norte, não mediu esforços para realizar o sonho - seja lá de quem fosse. Ela pagou a festa de debutante da filha durante dois anos. A recepção ocorreu na semana passada, no Spaço Quatá, na Vila Olímpia, zona sul. A filha, Nicole, escolheu vestir-se de Katy Perry e ganhou de presente um cavalo, entregue na frente dos convidados.

"O problema é que o exagero chega a um ponto que a festa nem parece de verdade", diz o estilista Rosner. Nicole, claro, discorda. "Tive uma noite de princesa. Melhor: tive uma noite de Katy Perry", conta. "É melhor do que casar, porque não precisei dividir as atenções com o noivo."

"A festa de debutante cresceu, ficou mais cheia de detalhes e requintes", diz Romy Godoy, há 25 anos no mercado de assessoria de festas com a empresa Romy e Tangrê. "Debutar ficou mais caro do que casar. As adolescentes querem cenografia, o que aumenta os custos em 30%."

Isso sem falar nos vestidos. A aniversariante chega a fazer cinco modelos para uma noite, o que pode custar mais do que um de noiva. / V.F.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.