Debate

Trata-se de uma técnica válida para solucionar crimes?

, O Estado de S.Paulo

13 de março de 2011 | 00h00

Rui Fernando Cruz Sampaio

Sim

A hipnose é prevista nos Códigos de Ética do Conselho Federal de Medicina e de Conselhos Regionais de Odontologia e Psiquiatria. No Paraná, foram quase dez anos e mais de 700 casos em que a hipnose contribuiu para a elucidação de casos criminais, levantando detalhes esquecidos por amnésia traumática. A hipnose não produz provas, mas o que é relatado nas sessões deve ser checado e periciado para, então, produzir provas materiais.

MÉDICO PSIQUIATRA, DIRETOR DO LABORATÓRIO DE HIPNOSE FORENSE DO PARANÁ ENTRE 1998 E 2008

Carlos Eduardo Jorge

Não

Nenhuma lei publicada prevê hipnose em investigações criminais. Se o depoimento for tomado de um indivíduo fora de seu estado natural de consciência, essa prova pode ser questionada. Assim, todo o inquérito pode ser anulado. Há outro ponto: nesses casos, o depoimento é submetido a um terceiro, um intérprete que adaptará o depoimento. E pode haver indução a alguma versão preconcebida. Há inúmeras prioridades em perícia técnico-científica que devem vir na frente desse método.

PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO DOS DELEGADOS DE POLÍCIA DO BRASIL

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.