Debate

Trata-se de uma técnica válida para solucionar crimes?

, O Estado de S.Paulo

13 Março 2011 | 00h00

Rui Fernando Cruz Sampaio

Sim

A hipnose é prevista nos Códigos de Ética do Conselho Federal de Medicina e de Conselhos Regionais de Odontologia e Psiquiatria. No Paraná, foram quase dez anos e mais de 700 casos em que a hipnose contribuiu para a elucidação de casos criminais, levantando detalhes esquecidos por amnésia traumática. A hipnose não produz provas, mas o que é relatado nas sessões deve ser checado e periciado para, então, produzir provas materiais.

MÉDICO PSIQUIATRA, DIRETOR DO LABORATÓRIO DE HIPNOSE FORENSE DO PARANÁ ENTRE 1998 E 2008

Carlos Eduardo Jorge

Não

Nenhuma lei publicada prevê hipnose em investigações criminais. Se o depoimento for tomado de um indivíduo fora de seu estado natural de consciência, essa prova pode ser questionada. Assim, todo o inquérito pode ser anulado. Há outro ponto: nesses casos, o depoimento é submetido a um terceiro, um intérprete que adaptará o depoimento. E pode haver indução a alguma versão preconcebida. Há inúmeras prioridades em perícia técnico-científica que devem vir na frente desse método.

PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO DOS DELEGADOS DE POLÍCIA DO BRASIL

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.