De novo, calor no Santos Dumont irrita os passageiros

Medições feitas pela Infraero apontam temperatura média de 25°C, apesar de admitir 'efeito estufa' no local

GLAUBER GONÇALVES / RIO, O Estado de S.Paulo

03 Janeiro 2013 | 02h02

Mesmo depois de a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) anunciar uma multa de R$ 250 mil à Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) pelas falhas no sistema de ar-condicionado no Aeroporto Santos Dumont, no Rio, passageiros que circularam ontem pelo terminal sofreram com o calor. Treze dias depois do primeiro problema, ventiladores instalados pela estatal e por funcionários de companhias e lojas tentavam amenizar a situação.

Apesar das reclamações dos passageiros, a Infraero diz que o problema já foi solucionado. A estatal culpa as altas temperaturas que têm sido registradas no Rio pelo calor no aeroporto. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a temperatura variou entre 22ºC e 37ºC na cidade.

De acordo com a empresa, medições feitas no Santos Dumont apontam que a temperatura no local têm ficado em torno de 25°C. A companhia informa ainda que o equipamento que havia tido problema já foi consertado e um adicional continua funcionando temporariamente.

Quem passou ontem pelo aeroporto, teve de improvisar leques com folhas de papel. "Está desconfortável", afirmou a professora Maria do Carmo Santana, de 58 anos, que foi levar amigos de Minas para embarcar. "Esse é um período de receber muitos turistas. Se o Rio quiser continuar sendo a porta de entrada do Brasil, isso não pode continuar assim", disse, bastante irritada com a situação.

Minutos antes de embarcar para Brasília, a economista Fabiane Carvalho, de 36 anos, também se abanava com uma revista. "Estão demorando para resolver o problema", queixou-se.

A primeira falha no sistema de ar-condicionado do Santos Dumont aconteceu no dia 20. Um dia depois do Natal, passageiros voltaram a sofrer com o calor. Na época, a Infraero explicou que o problema foi ocasionado por uma falha no gerador que alimenta o sistema de condicionadores de ar. Procurada, a Anac informou que não houve multas adicionais à Infraero.

Conforme explicou na semana passada o presidente da Infraero, Gustavo do Vale, o Santos Dumont é o aeroporto da rede da estatal que exige uma maior potência de ar-condicionado. O terminal de embarque de passageiros é similar a um tubo semitransparente. Quando a temperatura está muito alta, o local vira uma espécie de estufa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.