FILIPE ARAUJO/AE
FILIPE ARAUJO/AE

Curiosidades sobre o Brooklin

Sociedade Hípica Paulista, o hotel Hilton, o World Trade Center e outros endereços importantes do bairro

O Estado de S. Paulo

21 de setembro de 2015 | 20h58

O Brooklin é um importante centro financeiro margeado por avenidas de tráfego pesadíssimo. Na dos Bandeirantes, o famoso "anda e para" é uma característica comum sete dias por semana. A Engenheiro Luís Carlos Berrini também é disputada por veículos de todo tipo, mas fica bem mais sossegada no fim de semana. No miolo do bairro, há ruas residenciais tranquilas e arborizadas e outras animadas pelo perfil empresarial. Veja a seguir algumas características da região.

1. Bola dividida

O Brooklin Novo, predominantemente comercial, pertence ao distrito do Itaim Bibi, subprefeitura de Pinheiros. Zona oeste da cidade. O Brooklin Velho, mais residencial, faz parte do distrito do Campo Belo. Subprefeitura de Santo Amaro, Zona Sul. As duas metades de um bairro só.

2. Os prédios mais altos

No Brooklin Novo, grandes edifícios de design moderno, entre eles as torres do Centro Empresarial Nações Unidas e do World Trade Center, são uma marca registrada. Junto à Ponte Estaiada, esses edifícios enfileiram-se e ajudam a compor uma foto de cartão postal.

3. Ponte Estaiada Octávio Frias de Oliveira

A ponte liga o Itaim Bibi ao Morumbi. Tem 1 600 metros de extensão e quase 140 de altura. É uma estrutura de concreto sustentada por cabos de aço. O Brooklin Paulista também tem sua ponte, mal comparando, igual ao "primo mais velho", o Brooklyn de Nova York (!). 

4. Sociedade Hípica Paulista (R. Quintana, 206)

Fundada em 1911, fica no miolo do bairro. É um tradicional centro hípico de formação de cavaleiros e amazonas. Nas palavras da própria organização, o Clube "nasceu e se mantém como prestigiado ponto de encontro e convívio da classe empresarial e alta sociedade paulista". São duas pistas de areia e duas de grama, três picadeiros cobertos, um complexo de adestramento com dois picadeiros e um bar, um campo de polo, veterinária, academia, piscina aquecida, três quadras de tênis, salão de sinuca, recreação infantil e uma sede social com salão para festas e eventos.

5. Condomínio Ilha de Manhattan

Um reclame que saiu no Estadão há vinte anos ajuda a ilustrar bem o boom imobiliário da região na década de 90 do século passado. Estampando uma imagem de Estátua da Liberdade, em 1995, o Estado trazia o anúncio de um condomínio com oito torres que ocupavam uma quadra inteira na Rua Nova York e oferecia "3 opções em 3 dormitórios, 2 garagens, equipados com armários embutidos e financiamento em até 60 meses" e "apartamentos de 152 a 178 m² de área total, com qualidade total, lareira e hobby-box no subsolo." A propaganda não parava aí: "o que nos outros são opcionais, aqui é equipamento de série." Veja o anúncio original no Acervo.

6. Hilton Morumbi

O hotel de luxo no Centro Empresarial Nações Unidas (Cenu) já recebeu hóspedes famosos, como o ex-presidente dos Estados Unidos George Bush. É descendente do famoso Hilton, inaugurado na Avenida Ipiranga, 165, em 1971. No endereço original, ele foi por três décadas uma referência em padrão de atendimento e conforto na cidade. O charmoso cinco estrelas de trajetória majoritariamente glamorosa, ocupava uma torre em forma de cilindro com 34 andares e 390 apartamentos. Tinha cinema, bar e discoteca badalada. Depois, entrou em decadência e foi desativado nos anos 2000. Mudou-se então para a região do Brooklin Novo, onde funciona com o nome Hilton São Paulo Morumbi, onde oferece mais de 500 apartamentos e numerosas salas de reunião. 

Tudo o que sabemos sobre:
bairrosspbrooklincuriosidades

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.