Cúpula da Segurança muda mais dois diretores da polícia de São Paulo

Diretor do Dap e chefe do Dird deixam cargos; ontem, dirigente do DHPP caiu por espionagem

Marcelo Godoy, O Estado de S. Paulo

15 Março 2011 | 14h06

SÃO PAULO - Mais mudanças na polícia paulista. Um dia depois da queda do ex-diretor do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Marco Antônio Desgualdo, a Delegacia Geral resolveu promover o que está chamando de "ajustes na cúpula". Perderam seus lugares no Conselho da Polícia Civil os delegados Luiz Maurício Souza Blazeck, que dirigia o Departamento de Administração e Planejamento da Polícia Civil (Dap), e Elson Alexandre Sayão, até então responsável pelo Departamento de Identificação e Registros Diversos (Dird).

 

A cúpula da Segurança Pública também decidiu quem vai substituir Desgualdo no DHPP. Trata-se do delegado Jorge Carlos Carrasco, que dirigia a Polícia Civil em Carapicuíba, na Grande São Paulo.

 

As mudanças na Polícia Civil começaram após depois da revelação de que o próprio secretário da Segurança Pública, Antônio Ferreira Pinto, havia sido espionado por policiais. Desgaldo é suspeito de ter participado do esquema de espionagem. Ele teria sido flagrado entre os homens que foram ao Shopping Pátio Higienópolis obter, por meio de suposta fraude, a fita de um encontro que secretário da Segurança teve com um jornalista.

 

Foi o centro de compras que revelou a existência do esquema de espionagem contra o secretário. Depois que o vídeo foi divulgado na internet, o shopping informou que havia entregue as imagens a policiais civis que diziam estar investigando "uma ocorrência de outra natureza". Não havia nada, entretanto, a ser investigado, a não ser o próprio chefe da Segurança do Estado.

 

Texto atualizado às 18h15.

Mais conteúdo sobre:
polícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.