Cumbica: taxa de embarque cai 1,99%

A taxa de embarque doméstico vai cair de R$ 21,57 para R$ 21,14 - redução de 1,99% - nos Aeroportos de Viracopos, em Campinas, e Cumbica, em Guarulhos. Já a internacional vai de R$ 38,18 para R$ 37,42. A decisão ainda envolve outras tarifas, como a de permanência em pátio de manobras, armazenagem e capatazia (movimentação) de carga importada e para exportação. A medida está ligada ao processo de concessão dos aeroportos à iniciativa privada - a única tarifa paga pelo passageiro é a de embarque, as demais são custeadas por companhias aéreas ou pelo operador da aeronave. Os novos valores - anunciados pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) - entram em vigor em 30 dias.

AYR ALISKI / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

12 Julho 2012 | 03h04

Os contratos de concessão preveem que a atualização monetária das tarifas deverá considerar o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumulado no período entre a publicação do edital e a emissão da ordem de serviço dos terminais (necessária para autorizar a atualização). Os próximos reajustes serão feitos anualmente.

A Anac destaca que o reajuste incide sobre valores estabelecidos no edital de leilão publicado em dezembro. As novas tarifas, portanto, ficarão abaixo dos valores deste ano, mas mais altas que as de 2011, quando a de embarque doméstico era de R$ 20,66 e a internacional, de R$ 36,57. Em relação ao ano passado, houve um aumento de 2,32%.

Leilão. Em fevereiro, o governo fez o leilão de concessão dos Aeroportos de Guarulhos, Viracopos e Brasília, arrematados por R$ 24,5 bilhões. O valor mínimo era de R$ 5,477 bilhões. A assinatura dos contratos de concessão ocorreu no dia 14. As decisões sobre Viracopos e Cumbica foram publicadas ontem no Diário Oficial da União, porque os concessionários anteciparam a apresentação de documentos e contratação de apólices de seguro. Em relação a Brasília, o prazo de apresentação é até o dia 20.

A Anac explica que a ordem de serviço é um documento que autoriza os concessionários a darem início à fase de transferência das operações e à fase de ampliação do aeroporto, dentro do processo de adequação da infraestrutura e de melhoria do nível de serviço. Esse documento é exigido para a entrada em vigor do contrato e para que se tornem aplicáveis as demais obrigações contratuais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.