Cumbica: passageiros ficam 8h dentro de avião

Cerca de 30 pessoas que resolveram deixar o voo da TAM ainda tiveram suas bagagens enviadas por engano para Londres

NATALY COSTA, O Estado de S.Paulo

02 Março 2012 | 03h03

Oito horas. Foi o tempo que o voo TAM 8084, de São Paulo a Londres, ficou na pista do Aeroporto de Cumbica, com passageiros dentro. Na maior parte do tempo eles ficaram sem água, comida e informações precisas.

Uma das passageiras, a editora de livros Tayla Tzirulnik, de 29 anos, contou que o voo estava marcado para 22h50 de quarta-feira. No check-in, ela foi informada do atraso por "questões de tripulação". Recebeu voucher para jantar e foi orientada a passar pela imigração e esperar o voo. "Por volta das 23h, começou o embarque, mas logo veio um aviso de que o avião precisava passar por manutenção. Comissários não sabiam de nada, mas afirmaram ter recebido ligações da TAM à tarde avisando de que o voo só sairia às 23h50."

Às 4h20, todos permaneciam presos no avião. Sem água ou comida, algumas pessoas passaram mal. "Disseram que a possibilidade de decolar era mínima, porque o aeroporto de Londres não receberia mais o voo por causa do horário", disse Tayla.

O jantar começou a ser servido. Minutos depois, funcionários de solo da TAM foram até o avião dizer que quem quisesse poderia descer e pegar as malas de volta. Entre 4h30 e 5h30, cerca de 30 pessoas deixaram o avião, acompanhados de funcionários. Tayla e o resto do grupo tiveram a saída do Brasil cancelada e foram para a esteira esperar as bagagens. Um funcionário avisou que as malas chegariam em breve, mas, às 6h40, nada. "Foi quando a mesma pessoa nos disse que as malas não seriam devolvidas. O voo tinha saído às 6h20 com nossa bagagem dentro".

O próximo voo da TAM para Londres só sairia ontem à noite e Tayla embarcou mais cedo, por conta própria, em outra empresa. "Vou a um show em Liverpool e já perdi passagem de trem e hotel. Não posso perder também o show."

A TAM disse que o avião tinha manutenção prevista porque havia batido em pássaro e "o voo já havia sido reprogramado para decolar às 2h, não no horário original". Mas, por causa de um problema técnico imprevisto, a aeronave passou por nova manutenção e o voo decolou às 6h15. A empresa diz ter solicitado aos passageiros que "aguardassem a bordo" e "sistemas de comunicação e entretenimento da aeronave ficaram disponíveis".

A Agência Nacional de Aviação Civil diz que pode multar a TAM em até R$ 7 mil por passageiro. O valor total pode chegar a R$ 1,7 milhão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.