Cubatão tem pior média da década de ozônio e poeira

A cidade de Cubatão, no litoral paulista, teve em 2010 o maior número de dias poluídos dos últimos dez anos. O ozônio se destacou negativamente e extrapolou os limites em 22 dias. O material particulado (poeira) também teve aumento. No centro industrial, foram 24 dias acima do padrão.

Paulo Saldaña, O Estado de S.Paulo

07 de agosto de 2011 | 00h00

Segundo a Cetesb, o aumento ocorreu em função das emissões do polo industrial associadas às condições meteorológicas. Desde os anos 1980, Cubatão passa por um controle de emissões que derrubou muito os níveis. Entretanto, os padrões ainda permanecem acima da média.

No interior do Estado, a região de Santa Gertrudes, polo de indústrias de cerâmica, é a que mais preocupa. Houve quatro ultrapassagens do padrão diário de material particulado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.