Cruzeiro bate em porto na Argentina e cancela escala

Um navio cruzeiro que saiu de Santos em direção a Buenos Aires se chocou contra o porto da capital argentina na sexta-feira. O MSC Opera estava deixando o cais durante a noite quando acabou batendo - segundo a empresa, o navio atingiu uma boia náutica, que faz parte da estrutura do porto, mas não houve danos graves à embarcação. Uma escala em Punta del Este, no Uruguai, porém, acabou cancelada após o acidente.

Rodrigo Burgarelli, O Estado de S.Paulo

28 Março 2011 | 00h00

Segundo passageiros, vários andares ficaram interditados e a tripulação se negou a prestar esclarecimentos sobre o acidente. "Ainda não sabemos direito o que está acontecendo. O navio ficou parado durante a noite em alto-mar sendo consertado, mas ninguém veio explicar a situação, se há perigo ou não", afirma o bancário Willian Pereira, de 28 anos. O cruzeiro comporta cerca de 2 mil passageiros - a maioria é brasileira.

Após a manutenção no mar, o barco continuou viagem em direção ao Brasil durante a madrugada, mas sem parar em Punta del Este como estava previsto. Relatos de passageiros publicados na internet dizem que o casco teria sido avariado e o clima era de apreensão. "Vimos faísca de solda no dia de hoje", diz um deles, que não se identificou. "Há um grande temor por parte dos passageiros, pois não temos um comunicado oficial por parte da MSC a bordo."

Ontem à noite, o navio estava margeando o litoral brasileiro em direção a São Paulo. A previsão é de que o cruzeiro desembarcasse hoje em Ilhabela, no litoral paulista, e depois seguisse para o Porto de Santos.

Negligência. Procurada pela reportagem, a empresa confirmou a ocorrência do acidente e disse que não houve avarias graves à embarcação. A MSC também negou a interdição dos andares e disse que deixou todos os passageiros informados sobre as condições do navio. De acordo com a companhia, uma carta foi deixada em cada uma das cabines alertando sobre o cancelamento da escala em Punta del Este.

A mudança no itinerário, segundo a MSC, não foi causada pelas avarias, e sim pelo mau tempo na cidade uruguaia. A empresa diz também que há uma cláusula nos contratos de viagem que permite ao comandante não parar em Punta del Este, caso o tempo não esteja bom.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.