Cruzamento perigoso

BAIRRO DO PIQUERI

O Estado de S.Paulo

02 de maio de 2012 | 03h03

Moro no bairro Piqueri há 31 anos e, atualmente, em determinados horários, torna-se impossível acessar a Av. Paula Ferreira saindo da Rua Coronel Bento Bicudo, e vice-versa, por conta do imenso fluxo de carros. Todos os dias presencio grandes tumultos e discussões. Os motoristas tomam decisões perigosas, como descer a Av. Paula Ferreira, no sentido Av. General Edgar Facó, na contramão! Essa situação pode ser vista diariamente nos horários de pico. Seria de grande valia a instalação de um semáforo para organizar o trânsito e facilitar a travessia de pedestres. Ressalto que a sinalização horizontal existente no cruzamento é insuficiente.

PAULA ANGÉLICA PIMENTEL PRADO / SÃO PAULO

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) esclarece que a intersecção em "T" das Ruas Paula Ferreira com a Coronel Bento Bicudo tem alto fluxo de veículos apenas no horário de pico da manhã, quando é usado como alternativa à Av. Raimundo Pereira de Magalhães e acesso à Ponte do Piqueri, somando-se ao fluxo da Av. General Edgar Facó. Como todas as vias na região (Av. General Edgar Facó, Rua Paula Ferreira, Marginal do Tietê, Ponte do Piqueri, etc.) têm regime de operação saturado quando há simples interferência, um semáforo na junção das Ruas Bento Bicudo com a Paula Ferreira não traria benefícios para a fluidez no local, visto que o problema só ocorre em determinado período. A CET ressalta que está promovendo, com a SPTrans, a ampliação do corredor de ônibus reversível, para maior fluidez do trânsito.

A leitora reclama: Mesmo fora dos horários de pico, trata-se de um trecho com riscos de atropelamentos e colisões. Nunca vi um agente de trânsito no local, o que me faz questionar a resposta.

LEI DO SILÊNCIO

Madrugadas barulhentas

Peço providências em relação ao barulho, gritaria, baderna e música em volume insuportável até de madrugada do bar localizado na Av. Paula Farreira, 2.055. Já cansei de reclamar ao Psiu e à Subprefeitura Pirituba! A periferia está abandonada pelo poder público.

JOSÉ ROBERTO MORAU

/ SÃO PAULO

A Secretaria de Coordenação das Subprefeituras informa que a Subprefeitura Pirituba realizou fiscalização no local, constatando que o local está em processo de regularização da atividade com base na Lei 15.499/11, que consiste na licença de funcionamento condicionada, desde que cumpra as exigências previstas pela legislação. Quanto ao excesso de ruído, o Psiu informa que realizou duas vistorias no endereço citado, mas o local estava fechado. Outra está programada.

O leitor questiona: Quanto tempo mais terei de suportar o barulho e a baderna desse bar? Quanto mais reclamo, mais barulho fazem! Mesmo com vistoria, nada mudou.

Possuo mais de 50 protocolos de reclamação no Psiu por conta de um bar que insiste todo final de semana em ter música alta, algazarra e mesas espalhadas nas 4 esquinas. O Psiu jamais tomou providências, resumindo-se a dizer que o local estava fechado ou que a chuva impedira a medição do barulho. Tentei fazer reclamação na Ouvidoria da Prefeitura, mas nenhum dos mais de 50 números de protocolo foi aceito pelo sistema. Já fiz uso desta Coluna para reclamar do mesmo problema e uma funcionária do Psiu me ligou prometendo providências que nunca foram tomadas. É inadmissível a existência de um serviço que não funciona. Vou lembrar desse pouco-caso nas próximas eleições.

GUILHERME CARLINI / SÃO PAULO

A Secretaria de Coordenação das Subprefeituras, por intermédio do Psiu, informa que foram feitas 3 vistorias no local só neste ano. As vistorias continuarão até que o problema de barulho do sr. Carlini, seja resolvido. O cidadão pode e deve registrar solicitações e reclamações pelo telefone 156, pelo site http://sac.prefeitura.sp.gov.br ou na Praça de Atendimento da subprefeitura de sua região.

O leitor desmente: O problema piorou. Desconheço qualquer vistoria da Prefeitura no local! Se houve alguma ação, esta não surtiu nenhum efeito.

METRÔ LOTADO

Usuário insatisfeito

Quero registrar aqui a minha insatisfação com os serviços prestados pelo Metrô e pelo preço absurdo cobrado por esse meio de transporte sofrível. Há mais de 1 ano reclamo em vão, pois nada foi feito. Só recebo respostas bonitas da assessoria de imprensa. Todos os dias é um caos! Ficar mais de 20 minutos na fila para passar pela catraca do Metrô Tatuapé é um absurdo! O que este governo omisso tem a declarar diante de tal fato e tanto tempo sem nada fazer?

LUIZ CLAUDIO ZABATIERO

/ SÃO PAULO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.