Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Cristian Cravinhos é preso por porte de arma e suborno de policiais em Sorocaba

Condenado pela morte do casal von Richthofen, ele se apresentou para a PM como “um dos irmãos Cravinhos”

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

18 Abril 2018 | 07h31

SOROCABA – Um dos irmãos condenados pela morte do casal von Richthofen, Cristian Cravinhos foi preso na madrugada desta quarta-feira, 18, suspeito de agressão a uma mulher e porte de arma de fogo, e ainda por tentar subornar policiais, em Sorocaba, interior de São Paulo. De acordo com a Polícia Militar, uma equipe foi acionada para atender uma denúncia de briga de casal e, quando abordou o homem, ele se apresentou como “um dos irmãos Cravinhos”. Numa busca, os policiais teriam encontrado uma arma.

Conforme o relato apresentado à Polícia Civil, Cristian teria oferecido R$ 1 mil para ser liberado. Afirmou ainda que seu irmão, Daniel, viria de São Paulo com mais R$ 2 mil para entregar aos policiais. Ainda segundo os policiais, ele teria dito que não queria voltar à prisão. O homem foi preso em flagrante por corrupção ativa e posse ilegal de arma de fogo e levado a uma cela do 4º Distrito Policial. A mulher que estava com ele foi liberada.

+ Após soltura dos irmãos Cravinhos, Suzane fica a um passo da liberdade

+ Laudo diz que Suzane está apta a cumprir pena em liberdade

O detido será encaminhado para audiência de custódia ainda de manhã, no Fórum de Sorocaba. Os irmãos Cravinhos foram condenados, junto com Suzane von Richthofen, pelo assassinato dos pais dela, Manfred e Marísia Richthofen, em 2002, em São Paulo. Na época, Daniel era namorado de Suzane. Cristian foi sentenciado a 38 anos e seis meses em regime fechado, mas deixou a prisão em agosto de 2017, após ser autorizado pela Justiça a cumprir o restante da pena em liberdade.

+ 2º irmão condenado por matar casal von Richthofen deixa prisão

+ Relembre 10 momentos do caso Richthofen+ 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.