Criminosos explodem caixa eletrônico na Vila Mariana, zona sul de SP

Equipamento ficava em uma loja de conveniência de um posto de gasolina na Rua Sena Madureira; criminosos fugiram após ataque

Felipe Resk, O Estado de S. Paulo

05 Fevereiro 2015 | 08h09

SÃO PAULO - Uma quadrilha invadiu uma loja de conveniência, explodiu um caixa eletrônico e trocou tiros com a Polícia Militar na madrugada desta quinta-feira, 5, na região da Vila Mariana, na zona sul da capital paulista. Armado com fuzil, um dos bandidos também impediu que policiais de uma base da PM, vizinha ao local do crime, pudessem evitar o ataque.

Por volta das 4h50, cerca de dez criminosos chegaram em dois carros e invadiram o estabelecimento, que fica em um posto de gasolina na Rua Sena Madureira. Quatro funcionários e um cliente foram rendidos pela quadrilha. Dentro da loja, havia dois caixas eletrônicos, mas apenas um deles, da Caixa Econômica Federal, foi alvo da explosão de uma dinamite.

Antes do ataque, um dos bandidos manteve policiais de uma base vizinha sob ameaça de um fuzil. Os agentes pediram reforço e não puderam chegar a tempo de evitar a explosão do caixa eletrônico. "O procedimento adotado pelos PMs, solicitando apoio ao Copom, está previsto nos métodos internacionais de preservação da vida e de atuação armada das polícias. Assim, não é verdade que os policiais foram impedidos de combater os criminosos", afirma a Secretaria de Segurança Pública (SSP), em nota.

Os policiais acionados em apoio à ocorrência entraram em confronto com os criminosos no posto de gasolina, diz a SSP. Várias cápsulas de bala ficaram espalhadas pelo local. A explosão também provocou danos à loja e derrubou diversos produtos pelo chão. Os criminosos, no entanto, conseguiram fugir e ninguém foi preso.

Um dos carros usados pelos bandidos foi encontrado na Rua Coronel Lisboa, próximo ao posto de gasolina, com marcas de tiros e manchas de sangue. Como o alvo de furto foi um equipamento da Caixa, o caso vai ser investigado pela Polícia Federal.     

Mais conteúdo sobre:
Violência São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.