Crianças mortas a tiros pelo pai têm os órgãos doados

As crianças foram baleadas na sexta-feira e tiveram morte cerebral confirmada na manhã de sábado

Renato Alves, da Agência Estado,

26 de outubro de 2008 | 15h27

Um Boletim Médico da Santa Casa de Misericórdia de Franca, interior de São Paulo, divulgado neste domingo, 26, confirmou que os órgãos das crianças Alexandre Freitas Massucato Rezende, de 7 anos, e Letícia Freitas Massucato Rezende, de 11 anos, serão doados. A mãe de ambos, Valéria Gomes Freitas Rezende, de 37 anos, deixou o Centro de Terapia Intensiva (CTI) e autorizou a doação.   As crianças tiveram morte cerebral confirmada na manhã de sábado. Na sexta-feira elas foram atingidas por tiros disparados pelo pai, Helder Massucato Rezende, de 45 anos, que sofria de problemas com drogas e depressão. Ele ainda atirou na mãe, Lourdes Massucato Rezende, de 75 anos, que morreu no local, na mulher Valéria e na outra filha, Júlia Freitas Massucato Rezende, de 11 anos, irmã gêmea de Letícia, que continua em coma profundo, respirando por aparelhos.   Após executar quase toda a família, Helder disparou contra a cabeça e também morreu no local. Helder e sua mãe, Lourdes, foram enterrados no sábado pela manhã, no cemitério da Saudade, de Franca.   O crime aconteceu na casa da família, no centro da cidade. Helder utilizou um revólver calibre 32, registrado em nome de seu pai. Ele deu um tiro na cabeça de cada pessoa que estava na casa. O pai havia saído para uma consulta médica.   De acordo com a Santa Casa, a captação dos órgãos das crianças será feita pela equipe da Central de Transplantes de Órgãos do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, com a coordenação do Geová Nina Rocha.   Os corpos serão velados na sala 10 do velório São Vicente de Paulo e enterrados às 16 horas de segunda-feira no cemitério da Saudade, em Franca.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.