Crianças depredam creche no interior de São Paulo

Como os apontados são muito jovens, não há registro de ato infracional

Marcela Bourroul Gonsalves, estadão.com.br

13 de setembro de 2011 | 15h11

SÃO PAULO - Quatro crianças com entre 9 e 11 anos foram identificadas pela polícia, suspeitas de depredar uma creche e uma escola municipal em Américo Brasiliense, no interior de São Paulo.

Segundo informações da delegacia da cidade, nesta segunda-feira, 12, os primeiros funcionários a entrarem no local perceberam a bagunça. A creche tinha salas reviradas, material de sala como tinta e giz estragados, e vidros quebrados. A escola de ensino fundamental, ao lado da creche, tinha alguns vidros quebrados.

A vice-diretora da escola e a diretora da creche registraram a queixa. Logo depois, os investigadores foram até o local e, em conversa com funcionários e alunos, conseguiram identificar os possíveis responsáveis. As crianças apontadas são alunas da escola.

Elas foram ouvidas na delegacia e admitiram ter pulado o muro para entrar na escola, pois queriam brincar no parquinho, mas acabaram se exaltando nas brincadeiras. A instituição de ensino não conta com nenhum vigia durante o final de semana e, segundo a polícia, ainda não se sabe porque a central de alarme não funcionou.

Como os apontados são muito jovens, não há registro de ato infracional. A delegacia apenas comunicou a Vara da Infância. A responsável pelo caso no Conselho Tutelar não foi localizada nesta terça-feira, 13.

Mais conteúdo sobre:
crechedepredaçãocrianças

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.