Criança morre após acidente em creche clandestina na zona norte de São Paulo

Dona do estabelecimento foi indiciada por homicídio culposo e seria liberada caso pagasse fiança

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

01 de junho de 2012 | 03h46

SÃO PAULO - A proprietária de uma creche sem registro - considerada clandestina segundo a polícia -, localizada na Vila Terezinha, região da Brasilândia, na zona norte da capital paulista, foi indiciada por homicidio culposo (quando não há intenção de matar) após Gabriel Santos Silva, de 6 meses, sofrer um acidente e morrer, na noite de quinta-feira, 31, mesmo sendo atendido no pronto-socorro 21 de Junho, na Avenida João Paulo I.

 

Rosimeire Ferreira dos Santos, de 36 anos, dona do estabelecimento, localizado na Rua Hélcio da Silva, até as 3h30 desta madrugada de sexta-feira, 1, permanecia detida no plantão da Central de Flagrantes do 20º Distrito Policial, da Água Fria, e seria liberada, para responder processo em liberdade, assim que pagasse uma fiança de R$ 3.100,00, afirmaram os policiais. O pai e a mãe da criança também estiveram na delegacia.

 

Gabriel foi levado para o pronto-socorro, segundo os policiais, pelos funcionários da creche após sofrer uma suposta queda, ferindo o nariz e a testa. Policiais militares foram acionados pelo pronto-socorro e encaminharam a proprietária da creche para a delegacia. No boletim de ocorrência registrado na Central de Flagrantes, não constam o nome da creche e em quais circunstâncias a criança sofreu a suposta queda. Gabriel entrou na creche aos três meses de idade.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.