Criança morre ao ser jogada no chão por tio-avô

Um homem de 54 anos foi preso em flagrante ontem, acusado de homicídio por ter atirado uma criança de 1 ano e 10 meses no chão. Ednaldo Inácio Soares é tio-avô de Ágata e, segundo familiares, tem histórico de violência e toma remédios controlados.

Flávia Tavares, O Estado de S.Paulo

10 de agosto de 2011 | 00h00

Ednaldo mora na Favela da Paz, no Limão, zona norte da capital, com a irmã, Gedalva, avó da menina. Ele a ajuda em uma pequena venda. A menina dormia e a avó varria o quintal quando Ednaldo teria jogado Ágata no chão. "Ele diz que a garota chorava muito e estava perturbando, mas que não lembra de nada depois de ter pego a menina no colo", diz a delegada Karla Regina Teixeira, do 20.º Distrito Policial, da Água Fria. "Mas a avó garante que Ágata estava dormindo e, quando ela entrou no quarto, viu o irmão ao lado do corpo ensanguentado."

A menina chegou a ser levada ao Hospital Cachoeirinha, onde deu entrada às 10h30, mas teve traumatismo craniano e não resistiu. Na porta da delegacia, o manobrista Tiago Camilo, pai da criança, chorava muito. "Domingo é Dia dos Pais. Que presente é esse? Minha filha era tão amorosa", dizia. A mãe da menina, Cristiane, passou mal e não foi depor. Sérgio Inácio, tio de Ágata, relata que Ednaldo "sempre foi agressivo e arrumava confusão".

A delegada disse que não há laudo que indique que Ednaldo tenha alguma doença mental. Ele será indiciado por homicídio qualificado por motivo fútil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.