Reprodução
Reprodução

Criança de 2 anos é baleada em troca de tiros entre criminosos e policial

Policial à paisana reagiu à tentativa de assalto e, no tiroteio, disparo acertou abdome de Luiz, que faz aniversário de 3 anos nesta segunda; Investigação diz que tiro partiu de criminosos, que estão sendo procurados

Marco Antônio Carvalho, O Estado de S.Paulo

07 Agosto 2017 | 17h59

SÃO PAULO - Uma criança de 2 anos foi atingida no abdome por um disparo de arma de fogo durante um confronto entre criminosos e um policial militar de folga na tarde deste domingo, 6, na zona leste de São Paulo. Luiz Gustavo Marques dos Santos foi socorrido, passou por cirurgia e tem quadro estável, mas permanece na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Hospital do Tatuapé. Ninguém foi preso. 

Luiz Gustavo, que completa 3 anos nesta segunda-feira, 7, e tinha sua festa de aniversário preparada pela família, andava na Rua Coronel Eduardo Lejeune, na Vila Nhocuné, acompanhada do pai. Segundo familiares, era um passeio curto antes do almoço de domingo na casa da família. Pouco depois de saírem da residência, no entanto, se viram em meio a um tiroteio que terminou com o garoto ferido. 

De acordo com informações do boletim de ocorrência, duas motos, uma delas ocupadas por duas pessoas, se aproximaram de uma terceira moto com intuito de roubá-la, na Avenida Itaquera. Ao perceber a abordagem, o piloto que seria vítima do assalto fez a curva para a direita entrando na Rua Coronel Eduardo Lejeune. Lá, passava um policial militar de folga em seu veículo particular que notou a tentativa de roubo e reagiu.

À Polícia Civil, o PM disse ter se identificado e ter dado voz de prisão aos três suspeitos, que atiraram. O policial, então, atirou de volta. “Uma criança que passava na calçada no momento acabou sendo atingida pelos disparos dos meliantes, que acabaram fugindo sem nada levar”, descreve o boletim de ocorrência do caso. A Secretaria da Segurança Pública acrescentou que “testemunhas disseram que os bandidos atiravam para trás” na fuga e que eles foram o responsável pelo ferimento. 

Luiz foi levado ao pronto-socorro da região e transferido ainda no domingo para o hospital do Tatuapé, onde passou por cirurgia para retirada da bala. Imagens de câmeras de segurança de uma casa da rua mostram o momento em que o pai sai para passear com o filho, às 14h10. Às 14h11, as três motos envolvidas passam pelo local. Instantes depois, o pai carrega o filho nos braços pedindo por ajuda.

A tia da criança, a balconista Solange Ramos, de 48 anos, disse que Luiz “nasceu de novo”. “Em 48 anos morando aqui, nunca vi uma violência como está agora, com uma criança que fica na linha de tiro”, disse na porta da sua casa na tarde desta segunda-feira, 7. Segundo ela, o garoto está consciente e pede constantemente para voltar para casa. A festa de aniversário ocorreria logo após Luiz voltar da escola, às 17h. 

A autônoma Cacá de Assis, de 65 anos, moradora da rua, disse ter escutado tanto tiro que pensou “que estava no Rio”. “Eles só iam dar uma passeada até a esquina. Como uns safados fazem um negócio desse?” Quando ela saiu para ver o que estava ocorrendo, já viu o pai carregando a criança no colo. “Mas quando ele voltar, vamos fazer uma festa de arromba”, disse. 

O caso foi registrado como tentativa de assalto, associação criminosa, disparo de arma de fogo, lesão corporal e resistência no 24.º Distrito Policial (Ponte Rasa) e está sendo investigado pelo 65.º DP (Artur Alvim). A região do 65.º DP registrou 126 casos de roubos de veículo no 1.º semestre deste ano, quantidade similar aos 125 do mesmo período do ano passado. O número de roubos outros, que incluem assaltos a pedestres, comércios e residências, caiu de 517 para 475. 

Mais conteúdo sobre:
Assalto

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.