Cresce nº de roubos na capital em agosto

Foram 10.289, sem incluir veículos; polícia alega mais facilidade para registrar queixa

Fabiano Nunes e Gio Mendes, O Estado de S. Paulo

26 de setembro de 2011 | 22h45

SÃO PAULO - O número de roubos em geral, sem incluir o de veículos, subiu em agosto na capital paulista. Foram registrados 10.289 casos, segundo dados que integram as estatísticas de criminalidade, divulgadas nesta segunda-feira, 26, pela Secretaria da Segurança Pública (SSP). A média mensal desse tipo de ocorrência, que inclui assaltos a casas, estabelecimentos comerciais e pedestres, é de 9.193 casos. No mês passado, a capital teve ainda 3.703 carros roubados, o maior índice deste ano.

Para o coronel Marcos Roberto Chaves da Silva, comandante do Comando de Policiamento da Capital (CPC), a explicação para o aumento de ocorrências de roubos em geral é que mais pessoas passaram a registrar ocorrências desde que a Polícia Civil implementou as centrais de flagrantes em nove delegacias, há dois meses. "Com essa reestruturação da Polícia Civil, outras delegacias passaram a prestar um atendimento mais rápido. Um outro fator importante é que a Polícia Militar passou a fazer boletins de ocorrências de alguns casos (como furtos e perda de documentos), o que também diminuiu o tempo de espera em uma delegacia. Ao perceber que há mais agilidade no atendimento, o cidadão passa a procurar a polícia pra registrar mais casos."

O bairro que lidera o ranking das fez regiões com mais casos de roubos em agosto é o Jardim Miriam, na zona sul, com 242 ocorrências. O presidente do Conselho Comunitário de Segurança (Conseg) do Jardim Miriam, Durval Marques dos Santos, disse que o número de roubos aumentou na região porque moradores que teriam perdido documentos estariam registrando o caso como roubo na delegacia do bairro - para não ter de pagar a taxa cobrada pelo Estado para fazer a segunda via do documento. "Efetivamente não houve aumento de casos de crimes, porque tenho acompanhado esses dados com base nos levantamentos da Polícia Militar", disse Santos.

Segundo o comandante do CPC, a PM vai intensificar os patrulhamentos nas regiões onde ocorrem mais assaltos após mapear todos os locais. "A gente já esperava que esse índice fosse subir, após a criação das centrais de flagrantes", afirmou Silva.

Morumbi. A presidente do Conseg do Morumbi, Júlia Titz Rezende, acredita que o aumento nas estatísticas no mês de agosto na área do 34º DP (Morumbi) ainda reflete a onda de roubos que assolou o bairro antes da deflagração da Operação Colina Verde, quando o policiamento foi reforçado na região - após protesto dos moradores. "Nosso parâmetro de mudança serão os números de setembro", ponderou. Ela disse não ter tido notícias recentes de novos casos de roubos no Morumbi.

Mais conteúdo sobre:
rouboscrescimentoagosto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.