CPTM inaugura estação 3 anos depois do previsto

Com um atraso de quase três anos, a Estação Vila Aurora da Linha 7-Rubi da CPTM abriu as portas nesta segunda-feira, 9, na zona norte da capital. Cheia de percalços, a obra, iniciada em 2009, enfrentou rescisão de contrato e até uma morte por eletrocução em março - funcionários acusam a empresa de negligenciar a segurança dos operários no local.

O Estado de S.Paulo

10 Setembro 2013 | 02h03

Além disso, a parada, orçada em R$ 34 milhões em 2010, foi entregue por um custo de R$ 40,3 milhões. Mesmo tendo estourado o prazo de entrega - que era janeiro de 2011 -, a estação passou a funcionar sem escadas rolantes na passarela que dá acesso à bilheteria e às catracas. A CPTM informou que a instalação será até dezembro.

Sobre o atraso, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) disse que ele ocorreu por causa da quebra do consórcio contratado para a obra, o Estacon-Hersa. "Infelizmente, isso acontece. Uma empresa quebra e você não pode contratar outra empresa sem fazer nova licitação." Quanto à morte na obra, a CPTM afirmou que cumpriu todas as exigências, com as devidas supervisões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.