CPTM divulga consórcios para a Linha 13-Jade

A Linha 13-Jade da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), que vai ligar a zona leste de São Paulo ao Aeroporto de Cumbica, será construída por dois consórcios: um formado pelas empresas Consbem, Serveng e Tiisa (lotes 2 e 4) e o outro pelas empresas Helleno e Fonseca, Trail e Spavias (1 e 3). Os nomes foram divulgados ontem pela companhia.

Caio do Valle, O Estado de S.Paulo

03 Setembro 2013 | 02h02

A Serveng é uma das investigadas pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) por suposta formação de cartel em obras do metrô do Distrito Federal. Em nota, a Serveng informou que "sua atuação é pautada em estrito cumprimento da lei e que prestará esclarecimentos" ao Cade.

As obras começarão neste ano - com atraso, segundo o cronograma original divulgado pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB), cuja previsão era a de que o início fosse em março. No cronograma original, a construção terminaria em 2014.

O valor total desses contratos é de R$ 1,098 bilhão. O empreendimento todo, com a compra de trens e sistemas, custará R$ 2,1 bilhões.

Mais conteúdo sobre:
CPTMLinha 13-Jade

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.