CPTM compra equipamentos para tentar diminuir panes

Máquinas vão ser usadas na manutenção preventiva e substituir trabalho manual; ano já teve mais de 50 falhas

CAMILA BRUNELLI, O Estado de S.Paulo

06 de junho de 2012 | 03h01

A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) apresentou ontem três veículos ferroviários de alta precisão que deverão ajudar a reduzir as constantes falhas que vêm atingindo o sistema - apenas neste ano, já foram registradas mais de 50.

O investimento é de R$ 57 milhões e inclui 11 outros equipamentos, já entregues. O gerente-geral de Manutenção da CPTM, Evaldo Ferreira, disse que as máquinas serão usadas na manutenção preventiva das linhas - trabalho antes feito manualmente. "A tendência é de que os defeitos diminuam sensivelmente."

As máquinas são austríacas e a CPTM será a primeira empresa de transporte ferroviário urbano a utilizá-las. O carro-controle será capaz de identificar falhas ou fissuras internas nos trilhos, antes de o problema ficar grave. Uma outra máquina fará o lançamento, o recolhimento e o tensionamento de cabos da rede aérea de alimentação de trens. A tecnologia permite recolher um cabo gasto que precise de substituição e lançar um novo em ambos os sentidos, sem a necessidade de inversão da composição.

A terceira aquisição foi a máquina desguarnecedora, capaz de substituir toda a brita da via sem mexer nos trilhos ou no dormente (tábua de madeira que fica sob os trilhos). "Antes, nós mobilizávamos 20 ou 30 operários durante 48 horas para trocar a brita de 1,7 mil metros de via, o mesmo trabalho que a máquina faz em 7h", explicou Ferreira.

Linha 9. Sobre a Linha 9-Esmeralda (Osasco-Grajaú), que apresentou nova falha na manhã de anteontem, Ferreira disse que "há problemas em todas as linhas, e que não há nada de diferente na Linha 9". A empresa admitiu, porém, que o ramal está sobrecarregado. "Houve um crescimento surpreendente, por isso, um desgaste maior. Mesmo com planejamento, ninguém esperava esse nível de usuários (364 mil por dia)", disse. O ramal sofreu um boom após a abertura da Linha 4-Amarela do Metrô, com a qual faz ligação na Estação Pinheiros.

O diretor de Engenharia da CPTM, José Augusto Bissacot, afirmou que a modernização da companhia é perene. "Existem prédios subindo a todo momento em volta das estações e linhas. A cidade cresce e a modernização da CPTM é constante."

Segundo a empresa, o investimento encerra a primeira fase de modernização do parque das máquinas, iniciado em 2006. A segunda começa agora e deverá terminar em 2014, ano da Copa do Mundo, quando melhorias, como a diminuição do intervalo entre trens, serão possíveis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.