Cotistas têm 'vantagem' de 6,6% na UFABC

Mesmo antes da Lei de Cotas, a Universidade Federal do ABC (UFABC) já reservava metade das vagas para alunos da rede pública desde sua criação, em 2005. Desse total, 35% são para candidatos autodeclarados pretos, pardos e indígenas, conforme a distribuição desses grupos na população do Estado verificada pelo IBGE no Censo de 2010.

O Estado de S.Paulo

19 Maio 2013 | 02h01

Estudos desenvolvidos pela Pró-Reitoria de Graduação mostram que, em 2012, os cotistas tiveram desempenho 6,64% inferior ao demais. A diferença aumentou desde 2010, quando se verificou uma "vantagem" de 3,85% dos não cotistas.

Em 2013, a UFABC teve de se adequar à Lei de Cotas, que prevê reserva de metade das vagas dos cotistas para alunos com renda familiar igual ou inferior a 1,5 salário mínimo per capita (R$ 1.017). Para o pró-reitor de Graduação, Derval dos Santos Rosa, isso não alterará o perfil do cotista da universidade, pois alunos com a faixa de renda prevista já são contemplados. / C.L.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.