Corte na testa de Isabella parecia ter sido limpo, diz mãe

Ana Oliveira prestou depoimento à Justica por mais de duas horas; agora, porteiro do prédio depõe

Carolina Freitas, Agência Estado

18 de junho de 2008 | 17h47

Em depoimento ao juiz Maurício Fossen, Ana Carolina de Oliveira descreveu o que viu ao chegar ao Edifício London, de onde Isabela Nardoni foi jogada. Ela contou ter encontrado a filha no chão do jardim, ainda viva, com a boca roxa, salivando, de língua para fora, com a roupa rasgada e uma mancha de sangue na calça. Chamou a atenção de Ana o corte na testa da menina, que parecia ter sido limpo.    Veja também: Família Nardoni temia deixar Isabella com madrasta, conta mãe   A mãe de Isabella disse ter chegado ao condomínio onde moravam o pai da menina, Alexandre Nardoni e a mulher dele, Anna Carolina Jatobá, pouco antes da meia-noite, acompanhada pelo namorado e três amigos. Foi a primeira vez, disse, que esteve no local.   Perguntada se confiava em Anna Jatobá, Ana Carolina respondeu: "Depois (de Anna ter) de ter dois filhos, achei que poderia deixar Anna Carolina buscar Isabella." O filho mais velho de Anna Jatobá, Pietro, estudava na mesma escola da meia-irmã.   Ao explicar os motivos pelos quais acredita no envolvimento do casal Nardoni no crime, Ana de Oliveira foi vaga. "Algumas coisas tinham acontecido. Isabella poderia ter falado algo", disse, sem entrar em detalhes. Seu depoimento, como testemunha de acusação, começou às 13h45 e terminou às 16 horas. Neste momento está depondo no Fórum de Santana Valdomiro da Silva Veloso, porteiro do Edifício London que estava de plantão na noite do crime, 29 de março.

Tudo o que sabemos sobre:
caso Isabella

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.