Córrego transborda e alaga casas de Barueri e Carapicuíba

Moradores dizem que Sabesp liberou a vazão de um reservatório; empresa atribui alagamento à chuva

Solange Spigliatti, da Central de Notícias,

27 de outubro de 2009 | 11h11

Cerca de 45 casas dos municípios de Barueri e Carapicuíba, na região metropolitana de São Paulo, ficaram alagadas na madrugada desta terça-feira, 27, após o Rio Cotia transbordar. O alagamento atingiu 30 casas no bairro de Vila Lurdes e outras 12 residências no Jardim Maria Helena, que ficam no imite entre os dois municípios.

 

As famílias atingidas foram aconselhadas pela Defesa Civil de Carapicuíba a não saírem de suas casas e subirem para partes altas. Segundo o diretor do órgão, José Moreira Almeida, a vazão da água do córrego foi muito forte e provocou a inundação por volta das 3 horas da madrugada.

 

Relato dos moradores dão conta de que a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) havia liberado a água do reservatório na região após as águas da chuva de segunda-feira, 26, terem invadido a casa de máquinas da unidade.

 

A estatal informou em nota, no entanto, "que o problema ocorrido nos municípios de Barueri e Carapicuíba nada tem a ver com qualquer anormalidade nas represas da Graça e Pedro Beicht". Segundo a empresa, o transbordamento foi provocado apenas pelo excesso de água da chuva. A Sabesp afirmou também que as áreas atingidas são várzeas ocupadas irregularmente.

 

Atualizado às 12h12 para acréscimo de informações.

Tudo o que sabemos sobre:
chuvaalagamentoSPBarueriCarapicuíba

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.