Córrego inunda casas e população queima ônibus

18 linhas deixaram de circular depois que dois ônibus foram incendiados e quatro depredados em protesto no Grajaú

O Estado de S.Paulo

15 de fevereiro de 2013 | 02h01

Seis ônibus municipais foram danificados em um protesto de moradores contra os alagamentos na região da Avenida Belmira Marin, no Jardim das Imbuias, zona sul da capital paulista, na noite de anteontem.

Ao todo, 18 linhas de ônibus que atendem a região deixaram de operar por causa do protesto. Os moradores da Favela do Parque Cocaia decidiram atear fogo nos coletivos depois que algumas casas ficaram inundadas por causa da chuva - o córrego que passa pela Avenida Belmira Marin transbordou pela segunda vez neste ano, segundo testemunhas. Usuários dos ônibus parados pelos manifestantes ligaram para a Polícia Militar.

A PM usou bombas de efeito moral para dispersar o grupo de moradores - a corporação, segundo a Secretaria de Estado da Segurança Pública, não informou o número de manifestantes envolvidos.

O protesto foi às 20 horas. Dois dos coletivos foram incendiados, enquanto o restante foi danificado com pauladas e pedradas. Quando as equipes da PM chegaram houve correria e ninguém acabou preso. A Polícia Civil abriu um inquérito policial por dano e incêndio no 101.° DP (Jardim das Imbuias) e pretende identificar os manifestantes.

O protesto ocorreu em uma área que faz parte de um grande pacote de obras viárias anunciado pela gestão Fernando Haddad (PT) e estimado em R$ 1,8 bilhão. Até o fim desta gestão (2016), a Belmira Marin deve ser duplicada em um trecho de três quilômetros - mas a Prefeitura ainda está qualificando as empresas que vão participar do processo. Entretanto, as informações passadas pela Prefeitura durante o lançamento do pacote, ocorrido em janeiro, não detalham se haverá canalização do córrego da via nem melhorias nos equipamentos de drenagem urbana da região.

O pacote viário prevê ao todo a construção de 43 quilômetros de avenidas. Além da Belmira Marin, a Estrada do M'Boi Mirim, outra via com histórico de formação de pontos de gargalo no trânsito, também será duplicada e a Marginal do Pinheiros vai receber um prolongamento de oito quilômetros. / B.R.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.