Robson Santos Neves/Divulgação
Robson Santos Neves/Divulgação

Córrego fica coberto de espuma após despejo de detergente em Salto

Material extravasou e cobriu gramados e arbustos do entorno; moradores relatam que os locais atingidos ficaram com mau cheiro

José Maria Tomazela , O Estado de S.Paulo

06 de março de 2019 | 09h02

SOROCABA - Grandes blocos de espuma branca cobriram o Córrego do Ajudante, afluente do Rio Tietê, nesta terça-feira, 5, em Salto, no interior de São Paulo. O material extravasou e cobriu gramados e arbustos do entorno, atraindo curiosos. Moradores relataram que os locais atingidos ficaram com mau cheiro. Funcionários da prefeitura usaram caminhões-pipa para lançar água e diluir a espuma. 

A Secretaria do Meio Ambiente do município acionou a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb).Técnicos estiveram no local e apuraram que a espumeira foi causada pelo lançamento de produtos usados para fabricação de sabão em pó no manancial. O córrego estava com bastante água em razão das chuvas e o turbilhonamento causou a formação da espuma.

Conforme o órgão, o material estava armazenado no pátio de uma empresa de produtos químicos, no bairro Olaria. Com as chuvas, resíduos de detergentes e outros produtos foram levados para o córrego. A Cetesb informou que a empresa será autuada pelo dano ambiental. A extensão dos danos está sendo avaliada para a definição do valor da multa. A Química Amparo informou que está colaborando com a análise do caso.

Na semana passada, a prefeitura e moradores de Salto estiveram às voltas com toneladas de lixo depositadas pelo transbordamento do Rio Tietê em pontos turísticos da cidade. Em 2014, quando uma onda de lama escura tomou conta do Rio Tietê, houve uma grande mortandade de peixes no Córrego do Ajudante. Foram recolhidas 40 toneladas de peixes mortos no manancial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.