Corregedoria prende policial e advogado

Um investigador do 62.º Distrito Policial, no Jardim Popular, na zona leste de São Paulo, e um advogado foram presos em flagrante ontem pela Corregedoria da Polícia Civil sob a acusação de extorquir R$ 60 mil de um empresário dono de revendas de gás de cozinha. A prisão ocorreu na zona leste, depois de a vítima sair do banco com o dinheiro. O policial e o advogado aguardavam o empresário no carro do policial, um Peugeot 206, no estacionamento da agência. Eram 15h30. Tanto o advogado quanto o policial alegaram inocência.

O Estado de S.Paulo

13 de abril de 2013 | 02h09

Segundo a Corregedoria, policiais foram à empresa da vítima às 8h30 de ontem. Alegavam apurar uma denúncia de tráfico de drogas. O empresário não estava. Buscado em casa, ele acompanhou os policiais até a empresa. Ali, os investigadores disseram ter achado um tijolo de maconha. Como não havia provas de que a droga era do empresário, o delegado chefe dos policiais decidiu abrir inquérito para apurar o caso e liberá-lo. Mas, em vez de dizer que ele estava livre, o advogado - que foi indicado à vítima - disse que os policiais queriam dinheiro. Inconformado, a vítima telefonou à Corregedoria, que fez o flagrante. MARCELO GODOY

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.