Corregedoria não absolve Goulart

Por 4 votos a 2, a Corregedoria da Câmara Municipal de São Paulo decidiu não absolver o vereador Antonio Goulart (PMDB), que está sob investigação após ter usado verba de gabinete para contratar gráfica que tem sua mulher como sócia. Apesar de o relatório final apresentado por Ricardo Teixeira (PSDB) inocentar Goulart, os membros da corregedoria decidiram abrir processo de instrução que terá novo relator, Wadih Mutran (PP), que votou contra a absolvição. A pena pode chegar à cassação do mandato.

, O Estado de S.Paulo

18 Março 2011 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.