Corregedoria investigará envolvimento de PMs na morte de sindicalista em SP

Operação da Polícia Civil cumpre nesta quarta 21 mandados de busca, apreensão e prisão na cidade

Solange Spigliatti, Central de Notícias

15 Dezembro 2010 | 15h39

SÃO PAULO - A Corregedoria da Polícia Militar de São Paulo adotou providências para esclarecer a suspeita de que policiais militares estariam envolvidos na morte do sindicalista Sérgio Augusto Ramos, assassinado com cinco tiros no dia 25 de outubro.

 

Na manhã desta quarta-feira, 15 a Polícia Civil deflagrou operação para cumprir 21 mandados de busca e apreensão e de prisão contra suspeitos de envolvimento no crime. Ramos, que era diretor de base do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de São Paulo, chegou a fazer vídeos e denúncias sobre as ameaças de morte que recebia.

 

Segundo nota da PM, "foram instaurados todos os procedimentos para a apuração do fato na esfera administrativa e criminal". Ainda de acordo com a nota, a Corregedoria adotou todas as providências necessárias para a elucidação do caso em conjunto com o Departamento de Homicídio e Proteção a Pessoa (DHPP).

 

Foram apreendidos durante a operação seis pistolas, dois revólveres, 145 cartuchos de munição 380, 11 cartuchos de munição .40, quatro cartuchos de calibre 380, três CPUs, um notebook, R$ 59.470 e documentos relacionados ao sindicato, dentre outros objetos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.