Prefeitura de São Paulo/Divulgação
Prefeitura de São Paulo/Divulgação

Prefeitura investigará secretário-adjunto por ação judicial

Claudio Schefer, da pasta de Segurança Urbana, é sócio de um escritório que move ação de danos morais contra o município

O Estado de S. Paulo

14 de outubro de 2015 | 21h38

A Corregedoria da Prefeitura de São Paulo abriu investigação contra o secretário-adjunto de Segurança Urbana, Claudio Schefer. O advogado é sócio de um escritório que move uma ação de danos morais contra o município de R$ 500 mil.

O caso foi revelado nesta quarta-feira, 14, pela TV Globo. Schefer disse que desconhecia a ação e que o advogado responsável pelo caso, Flávio Campos, foi desligado do seu escritório.

A ação pede indenização para o estudante Caíque Pereira dos Santos. Em junho de 2012, ele foi baleado quando ficou no meio de uma perseguição de guardas civis a bandidos, no Jardim São Luiz, na zona sul. O processo criminal foi arquivado em 2013. Em agosto deste ano, o advogado Flavio Campos entrou com a ação. No pedido também está o nome de Schefer e do escritório. 

Em entrevista ao SPTV, Campos disse que incluiu o nome do escritório de Schefer na ação "por um lapso" e que é o único responsável pela ação. Em nota, a Prefeitura informou que a Controladoria Geral do Município está avaliando a conduta do secretário-adjunto.

Tudo o que sabemos sobre:
São PauloJustiçaClaudio Schefer

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.