Corregedoria da PM investiga morte de jovem algemado

De acordo com a polícia, José Guilherme da Silva teria atirado contra a própria cabeça, mesmo estando com as mãos presas

Ricardo Brandt, O Estado de S. Paulo

17 Fevereiro 2014 | 19h06

CAMPINAS - A Corregedoria da Polícia Militar investiga a morte de José Guilherme da Silva, de 20 anos, que, segundo PMs da Força Tática de Limeira, teria cometido suicídio dentro de uma viatura, mesmo estando algemado com as mãos para trás. O caso, registrado em 14 de setembro de 2013, em Limeira (SP), foi relatado pelo jornalista Bruno Paes Manso, no blog SP no Divã, do Estadão.

Os laudos do inquérito apontaram que não havia resíduos de pólvora nas mãos da vítima e que o tiro foi disparado há uma distância de meio metro. O pai de José Guilherme, João Alves da Silva, relatou à Polícia Civil que viu o filho apanhar dos policiais e que ele foi revistado antes de entrar na viatura.

Segundo a versão dos PMs da Força Tática de Limeira, depois de ser preso por participar de um assalto, onde teria disparado contra a vítima, o rapaz escondeu uma arma dentro do carro. Quando era levado para a delegacia, disparou contra a própria cabeça, mesmo algemado.

O delegado seccional de Limeira, José Henrique Ventura, não foi encontrado para comentar as investigações da Polícia Civil, que ainda aguarda o laudo das armas dos policiais. Os três PMs estão afastados das ruas, trabalhando em funções administrativas.

Mais conteúdo sobre:
algemado suicídio Polícia Militar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.