Corregedoria da PM apura agressão a jovem

Estudante teria levado um tapa de policial, o que causou lesão em seu tímpano direito, após se negar a ser revistada

Márcio Pinho, O Estado de S.Paulo

16 de setembro de 2011 | 00h00

Uma estudante de 19 anos afirmou ontem que foi agredida por um policial militar durante uma abordagem no Tatuapé, zona leste. O tapa que teria sido desferido pelo PM causou lesão em seu tímpano direito. A jovem afirma que sofreu a agressão após recusar-se a ser revistada pelos dois policiais homens e exigir a presença de uma mulher - como é o procedimento normal da PM.

Uma lesão na membrana no tímpano foi confirmada em exame médicos. A polícia já abriu um Inquérito Policial Militar (IPM) para apurar a atuação dos policiais Torretti, com 23 anos de corporação (que teria dado o tapa, segundo a jovem), e Martinez, com 15 anos de serviço. Eles negam a agressão.

A estudante, que não quis ter o nome revelado, contou ao Estado que estava na Praça Barão de Itaqui com dois colegas, de 18 e 19 anos. Ela e um dos rapazes fumavam cigarros quando foram abordados pelos policiais, que queriam revistá-los à procura de drogas, mas nada foi encontrado. A jovem relata que ouviram insultos dos policiais. "Foi abuso de autoridade." Após a agressão, ela foi atendida no Hospital Vitória, na zona leste.

Investigação. O governador Geraldo Alckmin (PSDB) afirmou ontem que a truculência policial não é o "padrão" da PM e que o caso será investigado. "Vão ser ouvidas a vítima e as testemunhas e vamos ver o laudo pericial." A Corregedoria já está verificando se existem filmagens. Segundo a assessoria da PM, o inquérito foi aberto tão logo foi feita a denúncia e a conduta descrita "não corresponde aos procedimentos da PM". Caso sejam comprovadas as denúncias, os PMs responderão a procedimento administrativo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.