Corregedoria da Câmara de SP decide não absolver vereador Antonio Goulart

Parlamentar está sob investigação por ter usado verba de gabinete para contratar gráfica

Rodrigo Burgarelli, O Estado de S. Paulo

17 Março 2011 | 21h05

SÃO PAULO - Por 4 votos a 2, a Corregedoria da Câmara Municipal de São Paulo decidiu não absolver o vereador Antonio Goulart (PMDB), que está sob investigação após ter usado sua verba de gabinete para contratar uma gráfica que tem sua mulher como sócia.

 

Apesar do relatório final apresentado por Ricardo Teixeira (PSDB) ter inocentado Goulart, os membros da Corregedoria decidiram abrir processo de instrução, que terá um novo relator, Wadih Mutran (PP) - um dos que votou contra a absolvição do acusado. A pena prevista pode chegar até a cassação do mandato.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.