Corregedora-geral da Polícia Civil de SP deixa o cargo após vídeo de escrivã

Dois delegados envolvidos no episódio já haviam sido afastados; suspeita foi despida à força

Gabriel Pinheiro e Marcelo Godoy, Estadão.com.br

24 Fevereiro 2011 | 18h23

SÃO PAULO - A corregedora-geral da Polícia Civil paulista, Maria Inês Trefiglio Valente, deixou o cargo nesta quinta-feira, 24, por determinação da Secretaria de Segurança Pública (SSP). O afastamento ocorre após a divulgação de um vídeo que mostra uma escrivã despida à força por delegados da Corregedoria para realização de revista.

 

O episódio aconteceu em julho de 2009, no 25º Distrito Policial, em Parelheiros, na zona sul de São Paulo. A escrivã, suspeita de corrupção, pedia para ser revistada por mulheres, mas acabou despida à força pelos delegados.

 

Ela teria cobrado R$ 200 de um suspeito para liberá-lo. Ao ser surpreendida, escondeu o dinheiro na calcinha. A revista foi filmada. Em 2010, a escrivã foi demitida e responde a processo criminal. Ela nega o crime. O Ministério Público vai apurar se houve abuso.

 

No lugar de Maria Inês, transferida para a Delegacia Geral de Polícia Adjunta, assume interinamente o delegado Délio Montresoro, atual diretor de processo administrativos da Corregedoria. Na segunda-feira, a SSP afastou os dois delegados envolvidos no episódio. Em nota, a secretaria informou que "determinou a instauração de Processo Administrativo Disciplinar para apurar a responsabilidade funcional de cada um deles."

Mais conteúdo sobre:
escrivã

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.