CORREÇÃO

Diferentemente do que foi publicado na página C5 da edição do dia 15 de janeiro, na reportagem intitulada Dupla passa uma década presa preventivamente, Quintino Antônio Facci não mandou matar seu pai, que faleceu no ano de 2004 de pneumonia.

O Estado de S.Paulo

22 Janeiro 2013 | 02h04

Em 2011, o Ministério Público Estadual deu parecer afirmando a inexistência de indícios suficientes de autoria, coautoria ou participação de Quintino Antônio Facci na morte de seu irmão Quintino Francisco Facci.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.