Corpos de vítimas de acidente com carro alegórico em Santos são enterrados

Alegoria bateu em fiação elétrica de um poste e pegou fogo; outras cinco pessoas continuam internadas em observação

Agência Brasil

13 de fevereiro de 2013 | 11h21

Os corpos das quatro vítimas do acidente ocorrido nessa terça, 12, com um carro alegórico da Escola de Samba Sangue Jovem, em Santos, foram enterrados na manhã desta quarta-feira, 13. Os três homens que morreram eletrocutados empurravam o carro alegórico. A jovem, que estava na calçada e encostou na alegoria, também levou choque.

 

Cinco pessoas foram internadas na Santa Casa de Santos com ferimentos leves e continuam em observação, com previsão de alta ainda para esta quarta, de acordo com informações da Prefeitura de Santos. O prefeito Paulo Alexandre cancelou todas as atividades de carnaval e decretou luto oficial de três dias.

 

O acidente aconteceu após o desfile. Segundo informações da prefeitura santista, a escola já tinha deixado a área de dispersão da Passarela Dráusio da Cruz. Um fiscal da Secretaria de Cultura (Secult) e um representante da agremiação confirmaram o fato e assinaram um termo em que se comprometem com a informação. O carro saiu do centro da pista, encostou na fiação elétrica de um poste na calçada da Avenida Nossa Senhora de Fátima, e pegou fogo.

 

De acordo com a assessoria de imprensa da prefeitura, todas as vistorias necessárias foram feitas no local e a perícia já foi concluída. O laudo da Polícia Científica deve ficar pronto daqui a 30 dias. A prefeitura informou ainda que está dando toda a assistência necessária aos parentes das vítimas, com apoio de assistentes sociais e psicólogos no Instituto Médico-Legal (IML) e na Santa Casa onde os feridos estão internados.

 

O acidente causou a morte de Victor Ferreira, 29 anos, Leandro Monteiro, 27, Ludenildo da Silva Militão, 25, e Mirela Diniz Garcia, 19. Além dos feridos levados para a Santa Casa, cinco pessoas tiveram de ser atendidas em um pronto-socorro e foram liberadas após serem medicadas.

 

A prefeitura informou que o atendimento às vítimas começou antes da chegada do Corpo de Bombeiros, por uma equipe da Defesa Civil que estava no sambódromo. Em seguida, as vítimas foram atendidas por equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) que estavam no posto médico do sambódromo.

 

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
carnaval 2013

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.